Tem dúvidas de como é viajar com animais para Europa? Neste post iremos contar como foi a nossa experiência ao viajar com a nossa cachorrinha Jolie para Portugal. Desde todos os passos que foram necessários para que ela pudesse viajar de avião até a experiência de viagem e chegada em Portugal.

Primeiros passos

Começamos por procurar informações sobre viagem com animais para outros países. Encontramos diversas informações em Blogs e vídeos no Youtube. Não encontramos tudo bem informado e organizado em um artigo só. Isso é normal, pois dependendo do país de destino, as coisas podem mudar bastante.

Um blog que nos ajudou muito foi o Pqnos Monstros. Lá encontramos muitas informações importantes do que é necessário para viajar com pet, veja mais aqui: Como viajar com animais no avião e Como levar animais para a união européia. Além disso, vasculhamos muito os sites das companhias aéreas, pois algumas coisas devem ser feitas com relação a isso também.

Animais na cabine ou no porão?

Uma coisa muito importante antes de iniciar é responder a seguinte pergunta: Devo viajar com o meu amiguinho na cabine (como bagagem de mão) ou devo despachá-lo como bagagem normal no porão?

As regras podem variar de acordo com a resposta. Antes de qualquer coisa veja as regras para viajar na cabine, pois elas são mais restritas. O peso do animal, somado à caixa de transporte, deve satisfazer as regras da companhia aérea. No nosso caso, viajamos com a Gol de Florianópolis para São Paulo e com a TAP de São Paulo para Lisboa, Portugal.

Dicas para viagem na cabine

Viajamos com a Jolie na cabine, por isso, vamos focar em dicas nesse caso.

Bolsa de viagem

Assim que possível compre a bolsa de viagem que atenda as regras das companhias aéreas que você vai viajar. O motivo é simples: acostumar o seu animal para que ele se sinta o mais confortável possível na viagem.

Nós compramos a Sherpa Bag de tamanho médio. Ela comportava a nossa cachorrinha e atendia ao tamanho máximo permitido pelas companhias que íamos utilizar. Como não encontramos no Brasil, compramos na Amazon US.

Segundo a maioria das companhias aéreas, é obrigado que a base da bolsa seja rígida e impermeável. A Sherpa Bag já atendia a esses requisitos, ainda assim, colocamos um tapete higiênico para garantir. Além disso, a bolsa não pode ter rodinhas.

Acostumar o animal na bolsa de viagem

No nosso caso, sempre que a gente ia passear com a Jolie íamos com ela dentro da bolsa. Levando em conta que passear é uma coisa que ela adora, ela acaba associando uma coisa legal (que é passear) com o fato de estar dentro da bolsa de viagem.

Outras coisas que fizemos:

  • Fazer algumas viagens mais longas de carro com ela na bolsa;
  • Colocamos o cheirinho dela dentro da bolsa;
  • Tentamos ensiná-la a ir para dentro da casinha com comando (não deu certo);
  • Incentivamos ela a dormir dentro da casinha;

* Todas essas dicas também servem para a caixa de transporte se o animal for despachado no porão.

Documentos para poder viajar

  1. Aplicar microchip.
    É bom que ele tenha padrão internacional, de acordo com as normas do ISO 11784/11785.
  2. Aplicar vacina antirrábica.
    A vacina precisa ser aplicada, obrigatoriamente, depois do microchip ser implantado.
  3. Fazer sorologia após 30 dias da vacina (o cachorro tem que ficar em jejum antes de fazer o exame).
    O exame é feito em um clínica veterinária que retire o sangue e envie ao laboratório credenciado pela União Européia no Brasil, tendo duas opções: CCZ – Centro de Controle de Zoonóses de São Paulo (São Paulo – SP) e LANAGRO/PE – Laboratório Nacional Agropecuário em Pernambuco (Recife – PE).
    No nosso caso, fizemos em Florianópolis e foi enviado a São Paulo (são cobrados todos os custos de envio). É bom programar um tempo a mais para erros: no nosso caso tiramos o sangue da Jolie, depois de dois dias nos avisaram que o sangue não estava bom e teria que ser feito novamente. Fizemos novamente e a previsão era de três semanas no total, desde enviar para São Paulo, eles avaliarem e mandarem a resposta. No final demorou um pouco mais de um mês. pode acontecer de mandar para São Paulo e lá acharem problema com o sangue e mandarem fazer de novo. Se prepare para isso!
  4. Tirar certificado com veterinário.
    Fazer isso após 90 dias de ter a sorologia. Não adianta fazer antes.
  5. Comprar as passagens de avião.
    Ligar para a companhia aérea para avisar que vai levar um animal e pagar taxas. (importante: nesse momento, aproveite para avisar que vai viajar um animal junto, tirar dúvidas e confirmar informações). O preço da passagem varia de acordo companhia aérea, peso do animal e do modo que ele vai viajar (cabine ou porão). Não é o mesmo valor de uma passagem normal, até porque o animal não vai sentado em um assento, mas no caso da Jolie foram em torno de R$800,00 no total, desde Florianópolis até Lisboa. IMPORTANTE: Todos os trechos devem ser comprados em separado. As companhias aéreas não compartilham regras e não garantem viagem com escalas.
  6. Tirar CZI (Certificado Zoosanitário Internacional) na VIGIAGRO.
    Fazer isso com no máximo 72 horas de certificado (quanto mais próximo melhor). Deve ser marcado com um mês de antecedência pelo telefone da Vigiagro de sua cidade. Não esqueça de agendar, pois eles não tem um horário fixo. Conferir todos os dados, para não ter erro de digitação nem nada que possa trazer problemas na viagem.
    No dia agendado, seu animal não precisa ir junto, mas não esqueça de todos os documentos:

    1. Comprovante de aplicação do microchip com o código (se tiver, leve os adesivos com o código);
    2. Carteira de Vacinação com o comprovante da vacina antirrábica em dia;
    3. Laudo da Sorologia antirrábica;
    4. Certificado de Saúde emitido pelo veterinário;
    5. Requerimento para Fiscalização de Animais de Companhia (se não tiver, eles dão na hora para preencher);
    6. Passagem de avião, comprovante de compra e documento do hotel que vai ficar.
  7. Avisar aeroportos
    Todos os aeroportos de destino (inclusive escalas) devem ser avisados 48hs antes por email ou outro meio de comunicação. É obrigatório ter confirmação disso para não ter surpresas.
  8. Viajar com no máximo 10 dias após certificado.
    No dia do vôo chegue com 3 horas de antecedência no mínimo.

Documentos para levar na viagem

  1. Certificado do microchip com as etiquetas de identificação;
  2. Carteira de vacinação;
  3. Resultado da sorologia;
  4. TODOS os dados do vôo e hotel;
  5. Documento CZI da VIGIAGRO;

Experiência da viagem de avião

Para finalizar, saiba que a experiência de viagem pode ser diferente de caso para caso. A nossa Jolie é uma cachorrinha bem tranquila, mas não foi uma viagem fácil. Ficamos surpresos com a experiência, pois pensamos ser mais tranquila. Veja o vídeo acima para entender como foi.

Esperamos ter ajudado com o seu projeto de viajar com animais. Se você tiver alguma dúvida, entre em contato com a gente ou comente abaixo!

Facebook Comments
Compartilhe: